De acordo com o discutido em outros trabalhos (Cherry Woodwell, 2002 mulheres procuram mais os serviços de saúde para exames de rotina ou para cuidado preventivo, enquanto os homens buscam mais o cuidado curativo, perfil este encontrado tanto na região urbana quanto na rural.
Segundo a pnad/98, 23,5 das mulheres e os anúncios toscana mulher que procura homem 18,2 dos homens auto-avaliaram seu estado de saúde como deficiente (agregação de regular, ruim ou muito ruim sendo que as mulheres têm uma avaliação mais negativa do que os homens.
328, June 5, dhhs Publication.
(1996 períodos de referência maiores do que duas semanas podem introduzir viés de memória, principalmente quando se trata de agravos à saúde agudos menos graves.Journal of Health and Social Behaviour 30:282-304.Artigo, gênero, morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil.Resultados A amostra da pnad/98 contém 344.975 pessoas (281.695 residentes em áreas urbanas.280 em áreas rurais).As diferenças entre homens e mulheres, apesar de estatisticamente significantes, são pequenas e ligeiramente maiores na região urbana (5,6 dos homens e 7,1 das mulheres).A região urbana acompanha o perfil da transição demográfica brasileira, com maior concentração de mulheres a partir das faixas etárias de adolescentes e adultos jovens, com especial ênfase nas idades mais avançadas.As duas formas de obtenção da informação podem produzir estimativas diferentes da morbidade, podendo ainda variar entre homens e mulheres.Na área rural, há diferenças mais expressivas, sendo que as mulheres fazem maior referência ao fato de não haver médico atendendo, e os homens, à não existência do serviço procurado.Destaca-se a freqüência relativa de acidentes e agressão, que é bem maior entre os homens (8,3) do que nas mulheres (3,2).Public Health Service, Hyattsville, Maryland.Ibge/ cddi, Microdados (em CD-ROM Rio de Janeiro.
A porcentagem de mulheres na região urbana que alega o primeiro motivo é maior do que a dos homens, e o inverso ocorre na área rural.Na pnad/98, o uso de serviços de saúde não está necessariamente relacionado à restrição de atividades, embora as duas variáveis estejam referidas ao mesmo período.Links Shah BV, Barnwell BG Bieler GS 1997.Na região urbana, as diferenças de gênero são estatisticamente significantes, porém pequenas.Inan, Rio de Janeiro (mimeo).Para quase todas as doenças listadas na pnad/98, os percentuais são maiores na região urbana, com exceção de doença renal crônica e artrite ou reumatismo.Os diferenciais de gênero, favoráveis às mulheres, são muito menores do que para as consultas médicas, indicando que as barreiras de acesso para este serviço são maiores, o que é corroborado pelas altas porcentagens de indivíduos em todas as idades que nunca foram ao dentista.As maiores taxas são observadas nas crianças menores de 5 anos de idade, sem diferença entre os gêneros.


[L_RANDNUM-10-999]